Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
31/08/2018 - 12:30

Dessa vez o Projeto Direitos Humanos em Cena está na Escola Estadual Celso Malcher, no bairro da Terra Firme, em Belém. A primeira etapa do projeto é a capacitação dos professores que participaram de oficinas sobre a importância da denúncia e formas de encaminhamento para casos de violações de direitos da criança e dos adolescentes, que ocorreu na última quinta-feira, 30.

Na parte da manhã, o debate teve objetivo de informar a importância do direcionamento correto em situações de violações de direitos. Segundo a professora e doutora em Psicologia da Universidade Federal do Pará Milene Veloso, denunciar os episódios ocorridos é de suma importância no ambiente escolar. “O papel da escola é fundamental na identificação de casos de violência e maus tratos, mesmo que de forma suspeita, prevenindo complicações e até mesmo maiores violências para a vítima. Neste caso, o correto é denunciar e procurar órgãos protetores para resguardar esta criança”, avalia.

Para a professora da Escola Estadual Celso Malcher, Tarcia Rodrigues, o projeto será de grande valia para toda a escola. “Todas as oficinas ministradas foram de fundamental importância, uma vez que, a escola é localizada em um bairro periférico, local em que a incidência de casos de abuso sexual é maior. Com a capacitação do projeto, temos informação e já sabemos à quem recorrer, hoje me sinto preparada para orientar e proteger meus alunos”, afirma.

De acordo com a psicóloga da Sejudh Roberta Flores, o projeto Direitos Humanos em Cenas, foi desenvolvido com a intenção de diminuir casos relacionados a violações de direitos humanos. “Em 2015 detectamos que a demanda dos atendimentos eram de casos relacionados ao tráfico de pessoas ou a violação de direitos humanos, ocorridos ainda na adolescência. A partir disso, o projeto foi desenvolvido, como forma de prevenção e informação”, explica.

O projeto Direitos Humanos em Cena é uma realização da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos -Sejudh, através da Coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e ao Trabalho Escravo. A próxima etapa será a inserção de filmes que abordam assuntos como: Abuso e exploração sexual; Tráfico de pessoas; Trabalho infanto-juvenil; Diversidade de gênero e sexualidade; Violência familiar e Direitos humanos.

Resumo: 
.