Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
19/06/2020 - 12:00

Na manhã desta sexta-feira (19), o Procon Pará, vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), encerrou a segunda fase da Operação Feijão com as entregas de notificações a distribuidoras do produto em vários municípios. Após denúncias de cobranças de preços abusivos nos principais tipos de feijão consumidos pelos paraenses (carioquinha, preto, cavalo claro e caupi), a Diretoria de Proteção do Consumidor iniciou a operação, coletando preços do gênero alimentício em supermercados.

Nesta segunda fase foram notificadas 10 distribuidoras localizadas em Belém, Ananindeua, Capanema, Marituba, Benevides e Vigia de Nazaré. O objetivo foi analisar o valor de compra pelas distribuidoras e o preço de venda ao consumidor, para verificar se houve cobrança abusiva pelas distribuidoras ou pelos supermercados.

"Nós recebemos muitas denúncias de alta no preço do feijão. Então montamos esta operação, que é muito importante, já que se trata de um alimento básico e essencial no prato dos paraenses. Queremos entender quem está infringindo as normas do Código de Defesa do Consumidor com essas cobranças abusivas", disse o diretor do Procon Pará, Nadilson Neves.

Na terceira fase da operação, segundo a coordenadora de Fiscalização, Adriana Silva, serão analisados os documentos solicitados. As distribuidoras têm o prazo de três dias para enviar a documentação ao Procon Pará. "Queremos ver onde há abusividade, se é na distribuição ou revenda, como os supermercados. Ao constatarmos irregularidades, lavraremos autos de infração para o estabelecimento, pois não podemos permitir que os direitos dos consumidores sejam desrespeitados", reiterou a coordenadora.

Serviço: O consumidor pode entrar em contato com o Procon Pará pelo Disque-Denúncia 151, pelo whatsapp (91) 99230-0151 ou na própria sede do órgão, localizada na Travessa Lomas Valentinas, n°1150, bairro da Pedreira.

Por: Daniela Condurú (revisado pelo NCS)

Resumo: 
.